Page 42

EH Abril - Maio 2013

Desenho e inovação em mercados emergentes que deverão ser tidos em conta na hora de lançar um produto:  Eixo tecnológico-produtivo: Refere-se às contribuições do desenho no uso de recursos, instrumentos e procedimentos para materializar um produto ou serviço (uso de matérias-primas, insumos, processos, terminações, montagem, qualidade de terminação, outros).  Eixo da usabilidade: Refere-se às contribuições do desenho para que um desenvolvimento possa ser utilizado com efetividade, eficiência e satisfação em um contexto de uso específico. A usabilidade relaciona-se com a interface e interação que é estabelecida entre um produto e seus respectivos usuários (ergonomia, comunicação de usos e zonas operativas, segurança, legibilidade, outros).  Eixo da identidade: Refere-se às contribuições do desenho na elaboração das características próprias da empresa que a identificam frente às outras. Inclui, também, aspectos simbólicos, referidos à elaboração de valores e significados chamativos, vinculados à interpretação e à valoração subjetiva (imagem de marca, identidade corporativa, aplicação de marca, família de produtos, estilo, semântica de produto, estética, outros).  Eixo ambiental: Refere-se às contribuições do desenho na diminuição do impacto no meio ambiente do produto ou serviço ao longo de todo o seu ciclo de vida, contemplando toda a sua cadeia de valor, com o objetivo de preservar os recursos naturais (materiais recicláveis, peças reutilizáveis, minimização de quantidade de matérias-primas, processos e energia utilizada, outras).  Eixo social: Refere-se às contribuições do desenho orientadas a resolver necessidades dos setores mais vulneráveis da sociedade (idosos, pessoas com deficiências, setores de baixos recursos, cooperativas, outros).  Eixo comercial: Refere-se às contribuições do desenho vinculadas diretamente ao mercado e ao desempenho dos produtos ou serviços na sua instância de venda (ponto de venda, publicidade, dinâmica de compra, packaging, estratégias de promoção, estudo de potenciais consumidores, outros).  Eixo logístico-organizativo: Refere-se às contribuições do desenho na organização e coordenação de todas as variáveis que envolvem as atividades internas da empresa (logística, ordem interna, comunicação interna, distribuição, administração, contato com fornecedores, outros)5. O desenho, quando é corretamente aplicado e acompanhado pelas ações estratégicas necessárias, é uma ferramenta capaz de melhorar o desempenho e a competitividade das empresas. Como explica a especialista em gestão de desenho, Kathryn Best6: “o desenho é, agora mais que nunca, uma vantagem competitiva para as empresas, e isto faz que gerenciar de forma correta este recurso seja uma necessidade inescapável de toda organização. Em um momento como o atual, é evidente que as empresas competem em um ambiente global, com desafios e oportunidades novas. Uma visão aberta e criativa permite chegar mais facilmente a soluções novas e inovadoras que permitam criar novos cenários”. ■ * Desenhista Industrial (FADU, UBA, 2006). Sócio-Gerente e Diretor Comercial de DIDIMO | HealthcareDesign. Especialista em Negociação e Resolução do Conflito (ESADE PEN, 2009) e em Direção de Empresas (INICIA EDEM 2010, MateriaBIZ 2009). Pós-graduado em Neurociências Organizacionais Aplicadas NeuroManagement e NeuroMarketing. ** Licenciada em Comunicação Social (UNQ, 2005). Jornalista especializada em Tecnologias Aplicadas à Saúde. Redatora em DIDIMO | HealthcareDesign e revista Estrategas. Docente, extensionista universitária e atual mestranda em Políticas de Planejamento e Avaliação da Educação Superior na UNQ. Referências 1. AAVV. “DidimoHealthcareDesign. Informes de negocios”. Buenos Aires. 2012 2. Ernst & Young. "Redefinir los negocios. Un análisis de las tendencias globales que están cambiando el mundo de los negocios". México. 2011 3. Porter, Michael. “The Five Competitive Forces That Shape Strategy”. 2008 4. Guía de buenas prácticas de diseño. Herramientas para la gestión del proceso de diseño. Instituto Nacional de Tecnología Industrial (INTI). Buenos Aires. 2010. 5. Marco Sanguinetti. "Aportes del diseño. Una herramienta para mejorar el desempeño empresarial". Instituto Metropolitano de Diseño e Innovación (IMDI). Buenos Aires. 2011. 6. Kathryn Best. Conferência: “Applied Design Management and design practice innovation”. BCN Design Week, Barcelona. 2009.  www.ElhOspItAl.COm pesquisa global eh0413innova relatório especial 38 abril - maio 2013 www.elhospital.com


EH Abril - Maio 2013
To see the actual publication please follow the link above